Exposição de Romanos 1 (Editando)

paul_in_prison_2_rembrandt

Introdução

Paulo estava em Éfeso, no final da sua 3 viagem missionária, e não havia mais campo naquela região, porque ele já havia pregado o evangelho em todo aquele território (próximo a bacia do Mediterrâneo).

O plano de Paulo agora era sair de onde ele estava (Éfeso) e levar uma oferta para a igreja de Jerusalem (para os crentes da Judeia, que estavam passando por dificuldades), oferta essa que ele tinha coletado entre as igrejas que ele havia implantado.
Depois de concluir a entrega da oferta, Paulo tinha planos de visitar a igreja de Roma (pois ele não conhecia tal igreja), e depois de Roma, ir para a Espanha.
Paulo estava em Éfeso quando escreveu a carta ao Romanos (alguns teólogos afirmam que ele estava em Corinto).
A igreja de Roma só conhecia Paulo por nome, por isso Paulo decide enviar uma carta provando que ele tem conhecimento sobre o evangelho e de que não é um apostata. Pois corria um boato em Roma de que Paulo era contra a Lei, contra as instituições de Israel e que Paulo era uma ameaça para os Judeus. (Boatos criados por ativistas judaizantes que tentavam quebrar por toda a parte o evangelho que Paulo pregava, uma das coisas que eles diziam é que Paulo não era um apostolo autorizado de Jesus…).
Um fato curioso sobre o livro de Romanos foi que Wesley, Agustinho, Lutero se converteram lendo este livro.

Capítulo 1

Prefácio e Saudação

01. “Paulo, servo de Jesus Cristo, chamado para ser apóstolo, separado para o evangelho de Deus.”

Servo. No original, doulos do verbo deo ( que significa: ligar, algemar, aprisionar). Paulo considerava-se aprisionado no serviço de Cristo. Bem pode ter aqui a idéia de escravo redimido (comprado) do poder de satanás por Cristo, o seu novo Mestre e único com plenos direitos de posse sobre ele (1 Cor 6:19)

Referências:

  • Atos 9:15 – Separado para levar Jesus aos gentios.
  • 1 Co 1:1 – Chamado para ser apóstolo.
  • 1 Tm 1:11 – Encarregado do evangelho da Glória de Deus.
  • 2 Tm 1:11- Designado para ser pregador, apóstolo e mestre.
02. “o qual foi por Deus, outrora, prometido por intermédio dos seus profetas nas Sagradas Escrituras,”
Outrora, prometido. Indica a necessária relação entre o Antigo e Novo Testamento (as profecias).
As Escrituras também são testemunhas da verdade do evangelho.
Sagradas Escrituras – é a primeira vez que esta frase aparece na Bíblia.
 Referências:
  • At 26:6 – Promessa que por Deus foi feita a nossos pais.
  • Gl 3:8 – Preanunciou o evangelho a Abraão.

03. “com respeito a seu Filho, o qual, segundo a carne, veio da descendência de Davi”

04. “e foi designado Filho de Deus com poder, segundo o espírito de santidade pela ressurreição dos mortos, a saber, Jesus Cristo, nosso Senhor,”

O verso 3 e 4 apresenta o Senhor Jesus em 2 pontos de vista:

  1. Segundo a carne (como homem), representação humana do Senhor, com limitações humanas. Jesus, do ponto de vista humano veio da descendência de Davi (como foi citado por Paulo). A afirmação de sua descendência também pode ser interpretada como uma confirmação da profecia de que o messias viria da descendência de Davi.
  2. Apresenta Jesus como “Filho de Deus com poder”, segundo o “espírito”, sua descendência celestial em Deus.

Referências:

  • Mt 1:6 – Genealogia de Davi.
  • Lc 1:32 – Ele terá o trono de Davi, seu pai.
  • At 2:30 – Um dos seus descendentes se assentaria no seu trono.
  • 2Tm 2:8 – Jesus Cristo descendente de Davi.
  • At 13:33 – Tu és meu Filho, eu, hoje, te gerei.

05 – “por intermédio de quem viemos a receber graça e apostolado por amor do seu nome, para a obediência por fé, entre todos os gentios”

Obediência por fé. Pela desobediência Adão foi separado da Glória de Deus (Rm 3:23 “pois todos pecaram e carecem da Glória de Deus,”). Pela obediência baseada na fé em Cristo temos reconciliação. A palavra “Fé” aqui não significa o evangelho ou doutrinas mas a própria crença em Cristo.

Apostolado – O chamado é uma via de mão dupla, Ele nos chama, mas somos nós que obedecemos por amor ao seu nome.

Referências:

  • At 6:7 – Obediência a Fé.
  • 1Co 15:10 – A graça de Deus no homem.
  • Gl 1:15 – Me chamou pela sua Graça.

06- “de cujo número sois também vós, chamados para serdes de Jesus Cristo.”

Os gentios também foram chamados para obter o favor não merecido de Deus (que é a sua graça).

07- “A todos os amados de Deus, que estais em Roma, chamados para serdes santos, graça  a vós outros e paz, da parte de Deus, nosso Pai, e do Senhor Jesus Cristo.”

Chamados para serdes santos – Nesta frase Paulo deixa claro um dos principais pilares do cristianismo, que é a busca incessante pela santidade e excelência no Senhor.

Neste versículo Paulo também realiza a sua saudação soteriológica*, que é a “Graça e Paz”. A “Paz” trata-se de uma saudação judaica (shalon), e “Graça” a conquista do favor não merecido através de Jesus Cristo para todo os que o receberem.

* Estudo da salvação

Conclusão da saudação do livro

 

O amor de Paulo pelos cristãos de Roma. Seu desejo de vê-los.

08- “Primeiramente, dou graças a meu Deus, mediante Jesus Cristo, no tocante a todos vós, porque, em todo o mundo, é proclamada a vossa fé.”

Meu Deus – É uma expressão raramente usada. O verso 9 revela a fonte deste sentimento na íntima ligação do escravo amado com o seu Mestre.

Mediante Jesus Cristo – Notem que Paulo deixa claro que Jesus é o seu intermediador entre ele e Deus “… dou graças a meu Deus, mediante Jesus Cristo …”.

Em todo o mundo, é proclamada a vossa fé – Paulo tinha evidências do crescimento na fé dos irmãos em Roma, e como essa fé estava impactando várias regiões.

Referências:

  • RM 16:19 – A vossa obediência é conhecida por todos.
  • 1Co 1:04 – Sempre dou graças.

 

09- “Porque Deus, a quem sirvo em meu espírito, no evangelho de seu Filho, é minha testemunha de como incessantemente faço menção de vós”

10- “em todas as minhas orações, suplicando que, nalgum tempo, pela vontade de Deus, se me ofereça boa ocasião de visitar-vos”

11- “Porque muito desejo ver-vos, a fim de repartir convosco algum dom espiritual, para que sejais confirmados,”

Notem algo interessante a respeito de Paulo, ele não era um crente que orava somente em favor dos seus próprios filhos na fé, mas também orava por crentes que nem mesmo conhecia.

Notem o que Paulo diz: “…incessantemente faço menção de vós em todas as minhas orações…”. A oração de Paulo não era um simples lembrete, ou uma menção a favor dos irmão de Roma, mas “orações incessantes” e não era apenas uma oração intersensória, mas em”todas as minhas orações” ele diz. Este deve ser o coração de um verdadeiro cristão.

Porque Deus, a quem sirvo em meu espírito – O homem é um ser humano dividido em 3 partes (1 Ts 5:23):

  • Corpo – é a materia, o que vemos e tocamos, é a carne que um dia será pó.
  • Alma – é o que nos tornamos com o sopro de vida (Gn 2:7).
  • espírito – é a parte do homem vinda de Deus (Gn 2:7), que fica diretamente em contato com o Espírito Santo em nós (Jo 3:6).

Quando nos tornamos cristãos, o Espírito Santo passa a habitar em nós, nos guiando, consolado e ensinando tudo que precisamos saber sobre o Senhor. Por isso que a transformação em Cristo é de dentro para fora. Neste contexto Paulo está afirmando que é guiado(servo do Espírito) pelo Espírito Santo através do seu espírito.

Repartir convosco algum dom espiritual – Paulo queria ter comunhão com os irmãos de Roma, para tanto ministrar naquele meio, quanto para ser ministrado. (comunhão para crescimento mutuo, dele e da igreja de Roma).

Referências:

  • At 27:23 – Deus de quem eu sou e a quem eu sirvo.
  • 2 Co 1:23 – Tomo a Deus por testemunha.
  • 2 Tm 1:3 – Te roguei que permanecesses.
  • Rm 15:23 – Desejando há muito visitar-vos.
  • 1 Tes 3:10 – Orando noite e dia, com máximo empenho.
  • Tg 4:15 – Devíeis dizer: Se o Senhor quiser, não só viveremos, como também faremos isto ou aquilo.
  • Rm 15:29 – Irei na plenitude da benção de Cristo.

 

12. “isto é, para que, em vossa companhia, reciprocamente nos confortemos por intermédio da fé mútua, vossa e minha.”

Confortemos – A finalidade da carta, como também da visita que Paulo pensa em fazer, é dar-lhes um fundamento seguro. Porém, Paulo espera ser beneficiado juntamente com os irmãos de Roma. Deve haver sempre uma reciprocidade dentro da comunhão espiritual do Corpo de Cristo.

Referências:

  • Tt 1:4  – Verdadeiro filho, segundo a fé comum.
  • 2 Pe 1:1 – Conosco obtiveram fé igualmente preciosa.

 

13. “Porque não quero, irmãos, que ignoreis que, muitas vezes, me propus ir ter convosco (no que tenho sido, até agora, impedido), para conseguir igualmente entre vós algum fruto, como também entre os outros gentios”

Conseguir igualmente entre vós algum fruto – Reforça ainda mais o objetivo de Paulo de estar entre os irmãos de Roma (que é a reciprocidade espiritual).

Referências:

  • At 2:44 – Tinham tudo em comum.

 

14. “Pois sou devedor tanto a gregos como a bárbaros, tanto a sábios como a ignorantes;”

15. “por isso, quanto está em mim, estou pronto a anunciar o evangelho também a vós outros, em Roma”

Bárbaros – São os não gregos, pois naquela época o cultura grega era bem forte, e possui traços de um povo mais civilizado. Já os demais grupos eram tidos como bárbaros (não aculturados). Já um Romano (Paulo) dizendo que é devedor de Bárbaros é a mesma coisa que dizer que ele também é um bárbaro (apresenta igualdade entre as pessoas).

O termo bárbaro veio por causa da língua enrolada que as pessoas de fora tinham para falar grego “Bar,bar, bar…”.

 

O assunto da epístola: A Justiça pela fé em Jesus Cristo

v 16. “Pois não me envergonho do evangelho, porque é o poder de Deus para a salvação de todo aquele que crê, primeiro do judeu, e também do grego;”

Em 1 Cor 1:24, Cristo é chamado o “poder de Deus”, indicando novamente que o evangelho é Cristo oferecido e recebido.

Primeiro do judeu, e também do grego – Indica que a salvação veio primeiramente para o povo de israel (pois era o povo escolhido por Deus).

Referências:

  • Sl 40:9e10 – Proclamarei a tua fidelidade e a tua salvação.
  • Lc 2:30 a 32 – Porque os meus olhos já viram a tua salvação.
  • Rm 2:9 – Judeus e gregos.
  • 1 Co 1:18 – A palavra da Cruz é poder de Deus para os salvos.
  • 2 Tm 1:8 – Sofrimento a favor do evangelho, segundo o poder de Deus.

 

v 17. “visto que a justiça de Deus se revela no evangelho, de fé em fé, como está escrito: O justo viverá pela fé.”

De fé em fé – Pode ser traduzido, “Baseia-se na fé e apela para a fé” Rm 3:22 onde é salientado o fato que a salvação não somente vem através da fé como também é oferecida a todos os que crêem. No grego, “fé” e “crer” têm a mesma raiz.

Justo – Significa a qualidade de ser justo no sentido de estar bem perante a lei. É um termo forense, que vem dos tribunais e não propriamente relacionado com a moralidade em si.

Referências:

  • Hc 2.4 – Mas o justo viverá pela fé.

 

A idolatria e depravação dos homens

v 18. “A ira de Deus se revela do céu contra toda impiedade e perversão dos homens que detêm a verdade pela injustiça;”

v 19. “porquanto o que de Deus se pode conhecer é manifesto entre eles, porque Deus lhe manifestou.”

Esta passagem demostra a culpabilidade do homem fundada na sua persistente rejeição da luz fornecida e não em desobediência vinda da ignorância.

Enquanto a justiça estiver nas mãos dos homens sempre haverá a ocultação da verdade, e injustiça.

Impiedade – Significa falta de relevância ou temor de Deus. É uma palavra religiosa enquanto a palavra reversão parece referir-se à corrupção moral.

Referências:

  • At 17:30 – Não levou Deus em conta os tempos da ignorância. (v19)
  • Cl 3:6 – A ira de Deus sobre os filhos da desobediência. (v18)
  • Jo 1:9 – Jesus a verdadeira luz, que, vida ao mundo ilumina todo o homem. (v19)

 

v 20. “Porque os atributos invisíveis de Deus, assim o seu eterno poder, como também a sua própria divindade, claramente se reconhecem, desde o princípio do mundo, sendo percebidos por meio das coisas que foram criadas. Tais homens são, por isso, indesculpáveis;”

 

 

 

 

 

 

Os comentários estão encerrados.

Site hospedado por WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: